A Morte...

E aqui estou eu de volta, depois de quase 4 meses sem postagem.Deixa eu explicar o porque do sumiço: Vida. É uma coisa que eu não conhecia até esse ano, ter amigos para sair por aí, conversar, prestar mais atenção nas aulas, acho que tudo meio que me afastou do Blog.
Mas quando eu comecei a viver, acho que presenciar uma morte veio como bônus, afinal, o que é de uma pessoa que vive, sem passar por dificuldades?
Perdi recentemente uma pessoa muito importante na minha vida, como uma segunda mãe para mim, e ir no cimitério, ver a pessoa que me criou, me amou, me ensinou grande parte das coisas que eu sei, me fez pensar: E agora, o que acontece?
Eu sempre acreditei que nós iamos para o céu, encontrar Deus e viver, e sim, ainda acredito, mas e aquelas aulas de ciências que a gente teve? Que o cerébro é tudo que faz o nosso corpo funcionar, e se o cerébro parar, acabou? E se existir apenas um breu e mais nada? É, talvez exista, talvez muitos daqui acreditem em coisas diferentes, mas eu não estou desacreditando em nada, tanto que ainda acredito que a nossa alma saí do corpo e vive no céu junto a o que existir.
Acho que ninguém saberá o que é a morte até acontecer com você, e por aí vai, acho que é uma das maiores curiosidades da vida.
Uma coisa que essa minha segunda mãe falava para mim, sempre, em algum momento de dificuldade era:

"Para tudo se tem um jeito, menos para a morte."
E ela estava certa, quem me derá existisse um jeito a la Lissa, para trazer uma pessoa que você ame de volta para a vida, mas não dá, é verdade, para tudo se tem um jeito, tudo pode acontecer, tudo pode se consertar, menos a morte, é uma coisa que não muda, simplesmente acontece e permanece eternamente.
A morte nunca é fácil para quem fica, existe a dor, a saudade e as lágrimas vem como brinde grátis, mas acho que para quem vai, é como a paz eterna, sem mais coisas para se preocupar.
Mas é isso, aonde quer que você esteja Bá, espero que consiga toda a paz, saúde e amor que você tanto merece.


Capa de Sempre.

Foi revelada a uns dias atrás pela editora Agir a 3ª e última capa da trilogia "Os Lobos de Mercy Falls" 
A capa inicialmente estava com o subtitulo O último volume da saga do menino-lobo” mas não agradou aos fãs, a editora deu ouvido aos leitores e anunciou a versão final da capa com o subtitulo mudado.


A capa acompanha o mesmo estilo da capa Americana, apesar de ser notavel a diferença do tom de vermelho.
Aguardo ansiosa o livro e com certeza irei comprar. (Meu Sam)

Beijos, 
Duda

Resenha: A Filha da Minha Mãe e Eu by Maria Fernanda Guerreiro

A Filha da Minha Mãe e Eu.

"São mãe e filho. A mãe tem que mandar, o filho tem que obedecer [...] Minha mãe costumava dizer que ela podia esfolar vivo um dos filhos, mas ninguém mais podia tocar um dedo. Era direito da maternidade. O direto de errar porque estava tentando acertar. Algo sagrado." -Pag 60
Mariana tem um passado cheio de revoltas com Helena, sua mãe, brigas, discussões, problemas... 
Ela sempre foi mal interpretada por sua mãe, nunca teve a atenção, o apoio, a amizade que ela queria.
O Livro começa com Mariana descobrindo estar gravida, e então ela nota que precisa rever seu papel de filha para se tornar mãe, com um passado tão complicado, ela precisa perdoar sua mãe e se perdoar pelos erros cometidos no passado, então ela começa a rever toda sua história, desde criança até a maioridade.
"Quando vi as duas listras azuis no teste de gravidez, tive uma certeza: preciso me sentir filha antes de me tornar mãe. Porque uma parte da minha alegria era inventada e, a outra, não era minha." -Pag. 7
A relação de Nana (Mariana) com sua mãe é muito complicada, porque o principal motivo é a falta de um exemplo que Helena teve, por sua mãe te-la abandonado tão jovem ela não teve um bom exemplo, para ter seus próprios filhos.
Falta de comunicação também foi a maior causa dos problemas, para Helena só ela está certa e ponto final, Nana tinha apenas que ouvir seus argumentos sem pestanejar. Eu não entendia o lado de Helena, achava ela uma pessoa muito dura e "osso duro de roer", até uma parte do livro que eu comecei a aceitar seu comportamento.
"-Então porque você não chora, mãe?! 
 
Nunca mais esqueci sua resposta. 
 
-Porque eu quebro, mas não envergo, Mariana" -Pag 98 
Outra coisa muito clara no livro é a preferencia da mãe por Guga, seu filho, irmão de Nana, ela dava atenção extra para ele, cuidava mais dele, e brigava mais com Nana, o que deixou claro a preferecia por ele, e isso fez Mariana se afastar mais da mãe, e se aproximar do pai Tito, o que deixava Helena brava, por achar que sua filha estava roubando seu lugar de esposa, veja só!
Mariana se sentia mal por sua mãe trata-la tão mal, e tudo que Nana fazia para tentar melhorar sua relação só piorava, ela nunca seria o que a mãe dela queria que fosse

"E foi assim, entre tantos desencontros, que eu descobri que existiam duas Marianas: a filha da minha mãe e eu." -Pag. 27

Mas Nana está revendo toda sua história e contando-a para nós leitores, e ela só vem a entender os atos que sua mãe tinha, só muito mais velha.
O livro aborta uma história de problemas familiares, comunicação, ciúmes, e muitos outros problemas que acontecem em muitas familias.

A forma que a autora narra a história me conquistou desde a primeira página até a última frase, ela narra de uma forma calma e não deixa faltar detalhes, outra coisa que não foi esquecida no livro são os personagens segundários, amei isso na narrativa, ela fala sobre os personagens de uma forma igual, mas não deixa que o foco da história desapareça.

Acho que se eu fosse analisar o livro em geral eu daria 4 estrelas para ele, porque apesar do livro ser ótimo, eu dei por falta de explicações, que faziam (pelo menos para mim) diferença na história.
A capa do livro também é apaixonante, eu amei a capa, é simplesmente o livro em uma imagem.

Se eu recomendo a leitura? Sim, é muito gostosa e passa voando, quando você menos espera já acabou. (Eu li em um dia, pode isso?)

Estou devendo esse post faz tempo, mas espero que tenham gostado da resenha e comentem, beijos,


Duda


PS: Em breve colocarei no ar uma promoção valendo um Kit lindo do livro, fiquem atentos :D

Fanfics: Você sabe o que são?

Oi pessoal, vim abrir um tópico aqui sobre Fanfics.
Acho que a maioria que acompanha meu Blog, lê, leu ou já ouviu pelo menos falar delas.

Fanfics é a abreviação de Fanfiction que é uma história feita por fãs, baseando-se em cantores, bandas, filmes, livros, animes e etc...
Eu particulamente amo ler/escrever fanfics, se você não percebeu eu tenho uma página especial aqui no Blog onde tem todas as minhas fanfics escritas ali.
Mas voltando ao assunto principal:

"Por que eu vim afinal falar disso no Blog?" Eu não sei exatamente porque, eu acho que gostaria de compartilhar isso com vocês, porque pra mim Fics são livros feitos por fãs, onde você pode viver a história (sendo a fanfic interativa, a maioria são)  com seu idolo, sua banda favorita ou até mesmo um livro ou filme que você gosta, então acho que vocês iriam se interessar igualmente por elas como eu me interesso, principalmente se você lê de tudo.

Depois de já apresentado, irei recomendar os sites que eu costumo ler fanfics:


Mas além desses sites existe muitos outros, é só procurar no Google que você vai encontrar varios apartir dos seus interesses.
Ah, e não deixe de dar uma conferida nas minhas fics, principalmente se você gosta de McFly.

Curiosidade: Sabiam que Sabádo a Noite da Babi Dewet era de inicio uma Fanfic? Hoje em dia o livro está preparado para ser lançado em todo o Brasil pela Editora Generale 

Então recomendo: Gosta de escrever? Escreva uma Fanfic, veja os que as pessoas pensam, além de tudo, você pode aprender muito com elas. 

Vida de Autora #2

Bom dia pessoal, eu sei que estou há séculos sem atualizar a coluna, mas é que o tempo está escasso mesmo!
Mas eu voltei! rsrs
E cumprindo a minha ultima promessa, vou falar sobre Clichês...
Antes de tudo vamos definir a palavra:
Clichê: É uma expressão idiomática que de tão utilizada e repetida, desgastou-se e perdeu o sentido ou se tornou algo que gera uma reação ruim em vez de dar o efeito esperado.
Também pode significar uma ideia relativa a algo que se repete com tanta frequência que já se tornou previsível e repetitiva dentro daquele contexto.


Basicamente, clichê é aquilo que todo mundo já está cansado de ouvir/ver/ler.
Então, eu deveria abolir qualquer coisa clichê da minha obra?
NÃO! Absolutamente NÃO! 
Por que? Porque se for um clichê bem feito, ele deixa de ser clichê e se torna algo original e mesmo assim "conhecido" para quem está lendo.
Tem gente que ainda gosta de uns velhos clichêzinhos... Mas a questão é saber como coloca-lo no livro.


Vou dar três exemplos de Clichês e arrumá-los do modo como eu acho que ficariam melhores.


Beijo na chuva: Beleza, todos deliram com isso, mas já está super batido. Então precisamos dar uma incrementada. O casal poderia cair, seria engraçado e daria oportunidade para risadas e mais beijos. Ou então poderia ser interrompido por um pedido de socorro de uma garotinha molhada. Vai da cabeça de cada um.


Melhor amiga/o sempre estragando as coisas: A maioria das pessoas não percebe, mas em muitos livros os melhores amigos só tem um único e cruel objetivo: sempre estragar as coisas pro lado do protagonista, não por querer é claro... Bem, e se tirássemos essa inocência do melhor amigo? E se ele fizesse tudo por querer, mas bancando o bonzinho? É algo a se pensar.


Felizes para sempre: Todo mundo ama um final feliz certo? Eu adoro. Mas às vezes, parece tudo tão forçado. Digo, o casal principal se separa, se odeia, morre umas quinhentas vezes, mas sempre acaba ganhando forças (magicamente) para ficar juntos. Então você pode me dizer: mas essa é a beleza do amor... Bem, é a beleza do amor nos contos de fadas, não na vida real, então seria interessante dar uma base mais realística a sua obra não? Não estou tentando extinguir os finais felizes, só pense bem antes de fazer um mundo colorido no fim do seu livro... Às vezes é bom mudar um pouco as coisas, torna-las menos previsíveis... A surpresa é o que faz determinada ação sair do contexto clichê.
Então, para fazer um clichê não clichê, você tem que abusar da criatividade, colocando ou tirando personagens, mudando atitudes e/ou inovando e surpreendendo de algum modo!


Espero ter ajudado. Até a próxima pessoal!
Beijos.
http://serietrinita.blogspot.com/

Resenha: O Céu Está em Todo Lugar by Jandy Nelson


O céu está em todo lugar

"As vezes é preciso perder tudo para encontrar a si mesmo..." 

Lennie nunca foi o centro do mundo. Isso era trabalho de sua irmã Bailey, ela apenas acompanhava os passos da irmã como um rio seguindo a corrente.
Até o dia que sua Bails -sua irmã-  vem a falecer, e Lennie se vê obrigada a começar a se virar sozinha, mas o problema é, ela não sabe como fazer isso.
Lennie não aceita o fato de ter se tornado filha única, não aceita o fato de que sua irmã nunca vai ser a Julieta da peça em que estava ensaiando, não aceita a morte.
E a Planta-Len confirma esse estado deplorável que Len se encontra, que aparece com manchas pretas. A Planta-Len é uma planta que acompanha Len desde pequena, e todos acreditam, que a planta vê seu estado emocional, espiritual e fisico. Houveram manchas marrons, brancas, mas nunca pretas.

Mas ela encontra um esconderijo de toda essa dor, Toby, o namorado de sua falecida irmã, eles dividem uma dor muito forte pela perda de Bails, e eles começam a se aproximar, e quando digo se aproximar, quero dizer mesmo, Lennie sente Bails quando está perto de Toby, e isso faz tanto ela, quanto Toby bem, então quando menos se espera, eles estão envolvidos em algo que nem eles mesmos sabem explicar o que seja. 

Porém, tem Joe, o sorridente garoto, que vê algo em uma garota que não tem nada além de dor e culpa. Joe foi seu substituto da banda do colégio, e é inegavel que Lennie não reparasse na beleza de Joe.

Lennie se divide entre Toby, o namorado de sua irmã e que divide as mesmas dores que ela, e Joe que faz tudo passar. 

 "Como vou sobreviver a esta saudade? (...) Não acredito que o tempo cura. Não quero. Se curar, não significa que aceitei o mundo sem ela." 

Eu achei Lennie chata. E o modo que ela encara a situação é totalmente fora do normal, resumindo: Estranho.
Ela não sabe se fica triste, ou se fica feliz, é tipo... você ganhar um sorvete e depois perceber que ele não é do sabor que você gosta, mas aí você acaba gostando dele, mas depois percebe que você queria o outro sabor.
Ela fica em uma guerra em si que me deixou estressada, ela um hora estava totalmente trancada dentro de si, sentindo a angustia de perder sua irmã, e em outro momento ela estava as mil maravilhas com Joe, e depois ela se culpava por isso.
Vamos nos decidir né Len, esse chove mas não molha enjoa.

Mas, isso não quer dizer que eu não gostei do livro, pra falar a verdade, eu gostei, e muito. 
O livro tem uma mensagem linda e é emocionante, você sente na pele a dor da Lennie, as vezes entende (as vezes não) a dor que ela sente.

Além de tudo, ainda tem o mistério da mãe-pela-metade, Len e Bails nunca conheceram a mãe porque ela foi atrás de aventuras quando elas eram crianças, e ficaram com a vovó e Tio Big. 
E grandes descobertas que você fica boquiaberto, e se sente como se fosse a Len descobrindo tal coisa.

Enfim, eu chorei, pronto falei.
Eu chorei muito, muito, muito, é um livro emocionante, que você provavelmente VAI chorar.

A novo conceito simplesmente caprichou na arte do livro, a capa tem uma textura diferente da maioria dos livros, as páginas que separam os capitulos são lindas e além do mais, tem depois ou antes de cada capitulo, uma ou mais páginas que mostram coisas que Len escreveu e jogou ao vento, que eu simplesmente amei, e chorei por algumas.

Eu provavelmente não resumi tudo que eu quis nessa resenha, mas tentei passar o minimo de spoiler que eu pude, eu recomendo a leitura se você está querendo ler um drama bem triste e queira chorar.
Dou 4,5 para o livro, só não dou 5 porque como eu disse, a Len é chata. kkkk
Então é isso pessoal, espero que tenham gostado (reparei que essa frase é clássica para finalizar os posts, alguém mais reparou?) e comentem, deixando uma blogueira muuito feliz.

XxX
Duda.

Eu vi... Critícas

Uma coisa que todo mundo (sem excessões) conhecem. As críticas.
Estando no mundo literário, sendo como blogueira, autora ou apenas leitor nós somos alvos de criticas, mas entrelinhas quando a gente se encaixa aqui, nós devemos estar preparados para as tão conhecidas criticas, comparações porque elas vão existir.
Mas as criticas são uma forma de um autor crescer, sabendo ele usa-la.
E o que acontece quando um pessoa não consegue mais aceitar uma critica? Ela é mais criticada.
Não e entendam mal,  eu como leitora e blogueira tenho que entender e aceitar a opnião dos outros,  assim como as outras pessoas devem respeitar a minha.

Mas hoje em dia a critica não é  mais tão boa como era antes, porque as pessoas não sabem criticar, e  quando você dá a critica, as pessoas que recebem, não sabem aceitar.

Chegando aonde eu queria chegar, o principal problema que eu andei vendo é que algumas pessoas não sabem aceitar quando é criticadas.
Passeando pela blogosfera literária eu dei de cara com uma autora (não irei dizer o nome,  não é necessário) que postou uma coisa em seu blog, e recebeu um comentário "comparando" seu livro com o de uma autora internacional.
Não preciso nem dizer  que isso gerou muitas histórias, reviravoltas, e comentários, e claro, um pouco de reclamações vindo da autora.
A história foi longa, mas se resumiu em, a autora provar que estava certa e que o leitor que comentou na resenha, sair por baixo, só porque comentou que a história se parecia com a outra.
O que eu achei muito desnecessário, claro.
Já falei e vou repetir: Assim que nos envolvemos nesse mundo, de livros, escrita, somos obrigados a entender os outros pontos de vista, e claro conversar e trocar idéias com isso, apesar de você não concordar, vamos respeitar, porque como muitas pessoas sabem, com as criticas crescemos.


Então, deixei aqui escrito o que eu queria dizer, e espero que vocês entendam que eu precisava desabafar isso. E claro, quero saber a opnião de vocês aqui embaixo.


Beijos.
PS: Ai gente, eu sei que eu fiquei meio desligada do Blog esses tempos, mas eu precisava de um tempo para organizar a vida. Estudos, vida pessoal etc... 
Agora estou de volta, de verdade, espero que não tenham desistido de mim. 

Preguiça dominando.

Preguiça.
Todo mundo aqui provavelmente sabe o que é isso, essa coisa que dá um atraso dos grandes na nossa vida.
Ando experimentando aos montes disso, e estou vendo que estou meio parando de viver por causa dela.
Parar de viver não é um sentimento bom, e eu quero me dedicar mais ao blog, fazer mais postagens, leva-lo para frente em 2012, quero interagir com os seguidores e comentar nos blogs parceiros, mas sempre a preguiça vem e dá aquele chega pra lá na minha vontade.

Então, decidi que apartir de hoje não vou deixar a preguiça dominar minha vida, então eu vou dar um chega pra lá nela.
Vou interagir nos blogs, ir atrás das coisas.
Então, a partir de hoje vocês vão ver mais postagens aqui no GHOB.

Beijos.
Duda.

Eu verei... o fim do mundo (?)

Oi pessoal, como alguns de vocês devem ter percebido, eu mudei um pouco o nome da coluna, mas nada permanente, bom o assunto tão descutido esses tempos é o fim do mundo, tão conhecido como 2012.
Existe vários palpites do que vai acontecer no dia 21 de Dezembro, e existe pessoas como eu, que acha que tudo foi uma grande trollada dos Maias para a gente.
Isso depende muito do ponto de vista, das crenças das pessoas, eu sinceramente não acho que o mundo vá realmente acabar.

Já existiram várias histórias antigamente que o mundo iria acabar.
Mas as pessoas as vezes levam isso a uma circustancia tenebrosa, de pensar em maneiras de como escapar disso, e se existir um isso, meu amigo, não vai ser você e sua familia que vai escapar vivo como no filme "2012". 
Existe os boatos de que o tão conhecido Governo Americano está por trás disso tudo, já que eles são os "Donos do pedaço".

O mundo não acabou ontem, não acabou hoje, e não acho que vá acabar amanhã, só porque uma população ditas profetas falaram.
Acho que nenhuma pedra seria grande o suficiente para prever os próximos trocentos anos do  mundo.

Mas isso tudo é só a minha opnião, qual é a sua?


Novidades: 2012 com o pé direito.

Olá queridos leitores, como vocês estão?
Estamos começando Fevereiro e espero que seus bolsos e corações estejam preparados.

Vamos começar pela editora Dracaena.

Editora Dracaena anuncia os lançamentos
"Oldar" e "Naturalmente Saudável"

Oldar - Guerra da traição
Autor: Rondinelli Fortalesa
Gênero: Romance, Ficção
ISBN: 9788564469655
Nº de páginas: 216
A história de Oldar é sobre um mundo muito antigo, ainda em seu início, quando os povos começavam a conhecer uns aos outros e tinham seus primeiros conflitos motivados por paixões humanas e até sobrenaturais.
Países se uniram a outros na tentativa de impor seu poder ou reivindicar uma justiça que julga ser devida.
A primeira narrativa de Oldar inicia no país do continente Oeste conhecido como Edammael, onde vivem os Dans. Esse país está localizado entre cordilheiras e possui um clima muito agradável na maior parte do ano.
O governo fora estabelecido no início dos tempos como reinado, onde um homem governa sozinho o destino do povo. As pessoas eram felizes e gostavam muito do modo como estava sendo conduzido o seu mundo, mas a sede por poder influencia uma mulher que foi capaz de trair todo o seu país.
Essa traição de Ânea causa a primeira guerra do reino de Edammael, que fica dividido entre norte e sul, cada um de um lado do rio Negro. Como algo esperado numa disputa por poder, os dois reinos entram em conflito e centenas de inocentes morrem sem justiça e apenas um deles consegue dominar todo o país novamente tornando-se o rei único de Edammael.
O perdedor nunca esquece daquilo lhe aconteceu e por vários anos planeja sua vingança contra o irmão que lhe tomara o poder no reino. Ele muda-se para as terras do sul e faz dali sua nova morada, onde se casa e tem filhos e finalmente encontra sua felicidade.
O reino do norte cresce e faz um tratado com o país vizinho. São construídos grandes monumentos e uma imensa torre para o governo. O novo rei, filho do anterior na busca de uma alegria que ele sente que perdera há muito tempo vai em busca de seu tio quer fora expulso na tentativa de juntar novamente sua família. Ele descobrirá que esse sonho será mais difícil de se realizar do que ele imagina.
Essa é uma história não sobre uma pessoa ou sobre uma família, mas sobre o planeta Oldar e os povos que o habitam. Essa história não tem pretensão de explicar as causas da violência da Terra, tampouco solucionar os problemas que existem em nosso mundo.
A intenção dessa história é mostrar como as coisas podem acontecer, mesmo que não queiramos ou planejemos que elas ocorram.


Compre: Saraiva | Cultura | Travessa

Naturalmente Saudável
Autor: Celso Zymon
Gênero: Saúde
ISBN: 9788564469566
Nº de páginas: 196
Há diversos livros sobre qualidade de vida, alimentação natural, vida saudável, porém poucos explicam de forma simples e direta o porquê da necessidade de mudar nossos hábitos.
A presente obra é muito mais do que dicas sobre saúde, pois a visão do autor é abrangente e de certa forma revolucionária para o padrão ocidental. A saúde é uma questão cultural e não somente medicinal, na realidade é muito mais pertinente a cultura do que a cuidados médicos.
Filosofia, ciência, arte, política, hábitos de vida, mente e espiritualidade, tudo isso deve ser analisado conjuntamente para que haja uma vida saudável em todos os aspectos que consiste a vida humana, porém é justamente por ignorar esses fatos que a humanidade ainda continua doente. Centenas de remédios novos surgem a cada momento, milhares de remédios estão disponíveis nas prateleiras, porém as doenças continuam a proliferar e os hospitais continuam cheios. Por quê?
Um livro simples, direto que vai deixar você querendo sinceramente adentrar cada vez mais no maravilhoso mundo naturalmente saudável.


Compre: Cultura


Bom e além dessas novidades também temos uma outra que me deixou super animada.
Sábado a Noite de Babi Dewet já tem editora!
E será lançado neste ano pelo selo Generale da Editora Évora.
Babi lutou muito para estar onde está e todos estamos apoiando muito o futuro lançamento.
E como SAN já tem editora, as vendas independentes foram encerradas, e SAN vai vir com capa nova e foi melhorado, baseado nas criticas de leitores e blogueiros, Babi adicionou/melhorou algumas coisas no livro.
E apesar de eu já ter a edição independente, eu vou fazer questão de ter a nova.
Desejamos tudo de bom para Babi.
O livro já foi resenhado aqui no Blog: Leia.

Crédito da foto: Leiturinhas


E não termina por aí.
Redenção de Lilo está em pré-venda no site dela, o livro está na reta final do processo de publicação e ela precisa levantar uma quantia para o sonho finalmente se realizar.
Então se você quer adiantado seu Redenção, ele está apenas R$25,00 e autografado!
Clique aqui, para saber mais informações.



 


Agora para os fãs de ~meu~ Patch, Becca Fitzpatrick publicou em seu site o nome do quarto e último livro da série Hush Hush, com o titulo Finale, ele tem previsão para lançar nos EUA no final de 2012 e ainda não temos informações sobre o lançamento aqui, provavelmente, apenas em 2013.





Quase acabando o  longo e recheado post, uma novidade para os fãs da autora Cassandra Clare, foi divulgada a capa oficial, a próxima série de Cassandra terá o nome de As Peças Infernais e o primeiro livro é nomeado Anjo Mecânico.

A protagonista agora é Tessa Gray, uma jovem garota americana que se muda para Londres logo após a morte de sua tia, em Nova York. Mas não estamos falando da Londres de hoje: a história se passa na época vitoriana, há mais ou menos 130 anos antes de começarem as aventuras de Clary e Jace. Anjo mecânico é uma prequel (ou seja, explora os acontecimentos anteriores) da série Instrumentos mortais.
E mesmo com alguns elementos da série anterior aparecendo nesse novo projeto, quem ainda não leu Cidade dos ossos, Cidade das cinzas e Cidade de vidro não precisa se preocupar: dá pra aprender direitinho como funciona o mundo dos Caçadores de Sombras.
Essa série é um Praquel, relata acontecimentos anteriores da sequencia de livros "Os Instrumentos Mortais"
Eu assim que bati o olho na capa percebi que teria alguma coisa relacionada, e acho que todos os fãs das aventuras de Jace e Clary vão curtir.

E para finalizar o post, temos novidades da Diva Meg Cabot, a Galera Record anunciou em seu tumblr a capa de Desaparecidos #2 e também anunciou o lançamento da nova série da Meg Cabot aqui "Abandon" que está previsto para Outubro. Confira:

Por hoje é isso, espero que tenham gostado do monte de novidades.
Beijos.
Duda

Vida de Autora #1



Oi gente, eu sou a Carol do blog Trinita e estou aqui, convidada pela fofa da Madu, para escrever uma nova coluna: Vida de autora. 
Nesse espaço vou falar um pouco sobre como é, mais ou menos, o dia a dia de quem escreve um livro, os obstaculos, as dificuldades e as conquistas e dar dicas de como superar tudo.
Não sei se sou a pessoa mais adequada, já que nem publiquei a minha primeira obra ainda, mas talvez seja isso que torne os meus problemas tão parecidos com o de muita gente por aí, essa luta pela primeira obra.
Então vamos lá, o primeiro tópico que vamos discutir é um que está presente na vida de todos que escrevem, seja blogs, livros, contos, textos... O Bloqueio!
Quem nunca teve um bloqueio na vida hein? E quem aqui não sabe o como é dificil superar? Pois é. Mas tenho  algumas explicações e dicas que talvez possam ajudar 
vocês.


Eu classifico os bloqueios em três tipos: Bloqueio de dedos, bloqueio de mente e bloqueio total. Calma, calma, não é nada complicado, vou explicar.


Bloqueio de dedos: A tão famosa preguiça, é aquele que você até tem ideias pra escrever, vez ou outra, mas que quando abre o documento bate aquela molesa, aquele desânimo de ter que passar pro papel todos os pensamentos... Como resolver?
Essa é a resposta mais simples, vá dormir, sério! Quando você está deitado, sua mente vaga bastante e em uma dessas viajens você pode ter uma inspiração ótima. Além disso, estar bem descansado é essencial pra despaxar a preguiça. 
Se agora, você está com disposição, mas não sabe o que escrever, siga para o item abaixo.


Bloqueio de mente: Esse é o tal bloqueio criativo. E Deus sabe a agonia de quem sofre desse mau, é uma das piores coisas do mundo você querer escrever mas não ter ideias, pior ainda é quando você tem uma idéia, mas não sabe como começar. 
A solução do problema não é definitiva e nem 100%, mas talvez ajude:
-Assita
-Ouça
-Leia


Quando você está escrevendo algo, é sempre bom ter em que se inspirar, se for uma estória que você precise ou quer poder retomar a escrita logo, opte por um filme, mesmo que você não esteja com aquela vontade de ficar parada vendo TV, as vezes faz bem relaxar e deixar a mente mais atenta a outra coisa. Não foque somente em filmes que tenham a ver com o que você tem de escrever, muitas horas, um filme de comédia é que vai lhe dar inspiração para escrever aquelas cenas de drama, por isso não procure o filme por genero, mas por qualidade.


Ouça. Música é uma das soluções mais rápidas, mas ainda assim mais complicada, porque não hà nenhuma garantia que as músicas que você ouvir irão lhe inspirar e não tem um método de saber qual é a música certa a se escolher, porque gosto é gosto e pode ter alguém que lhe indique uma música e que ache ela o maximo e pra você essa música não fazer diferença nenhuma... Eu costumo usar essa solução só para me impulsionar durante a escrita, quase nunca para me dizer o que escrever.


Leia. Quando você escreve estórias, ficticias ou não, o melhor é pegar diversos livros e se enfiar de cabeça neles, sair um pouco do seu mundo e mergulhar em outros, ali você pode descobrir palavras, expressões, girias e tipos de narração diferentes que poderão ajudar e muito! Aqui acontece o mesmo que nos filmes, não escolha o livro por genero.
Se quiser algo mais rápido, leia uma short fic! Bons escritos é o que não falta na net.


Por ultimo, Bloqueio total: Pois é gente, esse é o pior, é aquele onde você não tem vontade de fazer nada, nem mesmo de pensar, onde as ideias e a disposição vão parar na conchichina. Minha dica pra esse é fazer todas as recomendações acima e viajar, se você puder, saía de casa, vá para o shopping, para uma praia ou para o interior. E NÃO leve o computador ou o que quer que você use para escrever consigo, a melhor maneira de conseguir escrever é não ter ONDE escrever. Pois é, aqui se aplica a regra de: Tudo que a gente não pode ter, queremos. Não faça uma viagem muito longa, só o suficiente para que as idéias comecem a fluir e você tenha vontade de pegar no awu manuscrito de novo.


Geente, espero que as dicas tenham ajudado e vocês tenham gostado dessa minha estréia por aqui! Daqui a quinze dias estou de volta e o tema vai ser... músiquinha de suspense... Clichês!

Resenha: Julieta Imortal by Stacey Jay

Julieta Imortal - Stacey Jay

"Ela lutará pela luz, e ele pela escuridão.
Lutando por século pela doce centelha do amor.
Sempre que duas almas se amarem de verdade, vocês os encontrarão
A corajosa
Julieta, e Romeu, o desertor."

Julieta Imortal aborda a antiga história de Shakespeare, Romeu e Julieta, provavelmente todos aqui conhecem essa história ou já ouviram falar. (Por favor né gente, é um Clássico.
Mas Stacey Jay, baniu essa inocente história de amor e transformou-a em um total drama atual.
Julieta foi traida por Romeu, que sacrificou o amor de Julieta para se juntar aos Mercenários, Julieta assim que ficou presa em sua tumba foi encontrada pela Enfermeira que a convidou a viver eternamente sendo uma Embaixadora.
Os Embaixadores são seres da luz que vem a terra para juntar almas gemêas, antes que os mercenários convençam a uma das almas a sacrificar o seu amor

Julieta "pega emprestado" o corpo de Ariel, uma garota diferente das demais, Julieta se vê tendo que resolver a vida conturbada dessa jovem e encontrar e unir duas almas gemeas.
Só que nada é tão fácil assim, Romeu aparece para perturbar o trabalho de Julieta, no corpo de Dylan, um garoto normal que morreu no acidente de carro que Ariel provocou.

Julieta tem que correr contra o tempo para que seu "inimigo", antes que roube uma das Almas Gemeas oferecendo-lhes a vida imortal se matarem seu par.
Claro que não é simplesmente isso.

Durante a fuga no meio da estrada depois de jogar o carro de Dylan ribanceira abaixo, ela entra em uma caminhonete, ai ela conhece Ben, um lindo garoto que não a trata diferente por causa do sangue em seu corpo ou as cicatrizes no rosto dela, no caso, de Ariel.
Então a pequena sereia/Julieta se vê atraída por esse garoto que a ajudou em sua fuga.

Ai começa o conflito interno de Ariel, ela não estava nesse mundo para se "apaixonar" ou se atrair por alguém, e sim para concluir sua missão.
Mas as coisas podem e vão piorar, quando ela descobre que Ben é uma das almas gemêas que ela tem que proteger.
Para que serve a imortalidade, quando o amor é tão frágil e nenhuma vida humana tão longa? Pág. 84
O livro me conquistou apenas com o nome, por que além das resenhas que li, eu sabia que a autora ia abordar um tema diferente, e foi exatamente o que ela fez, ela colocou um pouquinho de tudo, misturou e ficou maravilhoso.
Ela tomou cuidado com cada personagem, dos irrevenlantes, até Julieta.
Ela descreve perfeitamente cada cena, sem fazer o leitor enjoar ou sem ser chata demais.
A narração tem dois intermediarios Julieta, e o ponto de vista de Romeu.

O que me deixou meio confusa no livro foi o final, que me deixou meio espantada, porque o livro se enrola de novo, e deixa você totalmente perdida esperando uma resposta.
"Isso aqui tá certo? Mas...?" 
Acho que nenhum livro me deixou tão intrigada assim desde Louras Zumbis (lembre)

Mas em geral a autora soube bem criar um novo ponto de vista de Romeu e Julieta sem danificar a história em si, e mudou totalmente meus conceitos da classica história.

Mas vem cá, apesar de Romeu ter se tornado um desertor, Romeu é Romeu né?!
Eles não sabem muito sobre o amor como julgam saber. O amor não quer que as pessoas continuem ignorantes e assustadas. Não coloca a obediência acima de tudo. O amor não julga e acredita que algumas vidas, ou histórias de amor, sejam mais valiosas do que outras. O amor não usa as pessoas e as joga fora. Ele é infinito e nos torna pessoas mais fortes, mesmo quando a pessoa que amamos já se foi. Pág. 219
Não sei se me expressei o suficiente ou se joguei uma bomba de spoilers para vocês, mas acho que ficou bom na medida do possível, é isso pessoal ;D 
BeijoS

Duda

 
Design by: Caroline Gehrke